sexta-feira, 27 de julho de 2012

Sé Catedral de Aveiro






 Sé Catedral de Aveiro, ou Igreja de S. Domingos

A origem da Sé de Aveiro remonta ao séc. XV. Era, à altura, a igreja do Convento de S. Domingos. A igreja primitiva era constituída por capela mor, sem coro alto, e composta por três naves, divididas entre si por duas séries de quatro arcos . Entre o séc. XVI e XVII, obras de conservação, converteram-se as naves laterais em capela devocionais, mesmo para se conseguir uma maior estabilidade ao conjunto.

Esta igreja foi convertida em Matriz da paróquia de Nossa Senhora da Glória em 1835. Em 1938 torna-se na Catedral da Diocese de Aveiro por bula do Papa Pio XI executada por D. João Evangelista de Lima Vidal.
A nave da igreja foi reconstruída no séc. XVIII ficando mais iluminada com a abertura de amplas janelas ovais.
Nos espaços livres das paredes há panos de azulejos do séc. XVIII. Os da direita representam um panorama da cidade de Osma, Espanha, em cuja diocese nasceu S. Domingos de Gusmão e uma ilustração de uma legenda da liturgia Mariana. Os da esquerda, além de nova ilustração de outra legenda litúrgica Mariana, apresentam um aspecto da cidade de Bolonha, Itália, com o seu convento Beneditino de Santa Maria do Monte, cidade onde S. Domingos de Gusmão faleceu.

A construção do novo carpo da ampliação foi efectuada em 1974 - 1976. A estrutura é de ferro e betão e as paredes foram forradas interiormente com material moderno que não produz eco.
Na perpendicular do altar, colocou-se a bela e delicada cúpula de estuque, do tempo da chamada "arte nova", que contém símbolos da paixão de Cristo.

Fonte: http://www.av.it.pt/aveirocidade/pt/monumentos/monu09.htm

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Pôr-do-sol em Carcavelos





Carcavelos ao pôr-do-sol

O nosso sol é das coisas mais bonitas que temos. Por isso, não me canso de o registar sempre que tenho hipótese...

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Alto do Formosinho


Alto Formosinho, nascer do sol

O Alto do Formosinho é a ponto mais alto da Serra da Arrábida, localizado a 501 metros de altura. Proporciona lindos nascer-do-sol, se houver coragem para subir ao topo pela madrugada gelada...

terça-feira, 27 de março de 2012

segunda-feira, 19 de março de 2012

Igreja de São Domingos




Igreja de São Domingos, Lisboa

Esta continua a ser das mais impressionantes igrejas em que entrei. Não tanto pelo interior, devastado por um incêndio há mais de 50 anos, mas por um aspeto particular: quem olha de fora para esta igreja, enfiada no meio de prédios na baixa lisboeta, não imagina o espaço que o espera no interior. É uma diferença que não encontrei ainda em lado nenhum...


quarta-feira, 14 de março de 2012

Nossa Senhora dos Remédios







Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, Lamego

O Santuário de Nossa Senhora dos Remédios localiza-se na freguesia da Sé, cidade e concelho de Lamego, distrito de Viseu, em Portugal. No topo do monte de Santo Estêvão, o santuário é atualmente parte integrante do panorama da cidade à qual está unido por um escadório cenográfico.

A devoção popular no local remonta a uma capela, sob a invocação de Santo Estevão, erguida em 1361. No século XVI, ameaçando ruína, foi demolida (1568), iniciando-se a construção de um novo templo, por iniciativa do bispo de Lamego. Na nova ermida foi depositada uma imagem da Virgem com o Menino. Com o passar do tempo, a devoção a Santo Estevão diminuiu, substituída pela devoção à Virgem. A devoção dos que a ela recorriam em busca de alívio para as doenças deu origem, por sua vez, à devoção a Nossa Senhora dos Remédios. O atual santuário foi principiado em 1750, e concluído apenas em 1905. As suas festas tradicionais, decorrem anualmente de seis a oito de setembro.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Santu%C3%A1rio_de_Nossa_Senhora_dos_Rem%C3%A9dios

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Buddha Eden





Buddha Eden, Jardim da Paz

O Buddha Eden Garden é um espaço com cerca de 35 hectares, idealizado e concebido pelo Comendador José Berardo, em resposta à destruição dos Budas Gigantes de Bamyan, naquele que foi, um dos maiores actos de barbárie cultural, apagando da memória obras primas, do período tardio da Arte de Gandhara. O passeio é bonito e a paisagem convida à reflexão e oração, seja qual for a religião que se professa.

Fonte: http://www.buddhaeden.com